Divino Médico

08/08/21 - 08:32

Aloísio Vander

“Jesus, porém, ouvindo isso, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas sim os enfermos; eu não vim chamar justos, mas pecadores.” [Marcos, 2:17]

Jesus estava sentado à mesa com publicanos e pecadores em casa de Mateus. Ele estava bastante a vontade, porém atento a tudo. Em dado momento, os escribas dos fariseus, também ali presentes, perguntaram a alguns dos discípulos por que o seu Mestre, sendo judeu, se sentava e comia à mesa com aquelas pessoas de má fama. Antes que os próprios discípulos respondessem à indagação, Jesus se antecipou e deu a resposta em destaque acima. Resposta que irá balsamizar sempre os corações de todas as criaturas que sofrem, revitalizando-as de esperança e coragem para o prosseguimento da luta até a redenção.

Se por um lado Jesus consola os caídos com sua resposta, por outro desconcerta os padres judeus, pois que todos os sacerdotes não deveriam ser médicos de almas? Então, os fariseus, ao invés de repelirem com desdém os tais pecadores, deveriam acolhê-los para mostrar-lhes o caminho da luz.

Todos nós somos necessitados e enfermos da alma, e dada a nossa fraqueza, o único capaz de nos curar é Jesus que, diretamente ou através de seus prepostos, nos tem ministrado, ao longo de milênios sem conta, paulatino tratamento regenerador.

Naquela mesa de refeição, na casa de Levi, Jesus lançou um convite para que toda a humanidade fosse para junto de Si, a fim de que Ele nos conduzisse a um destino luminoso.

O Espiritismo, como religião desataviada de ordens sacerdotais, descentralizada e livre, convida cada adepto a ser sacerdote de si mesmo, buscando a própria cura através de uma assepsia radical na alma, enodoada de paixões. Nesse processo, não prescindimos do auxílio do Médico dos Médicos, pois a fórmula infalível para a nossa cura definitiva está no Seu Evangelho.

Sublimes, como sempre, foram aquelas palavras de Jesus, por demonstrarem o Seu amor pelos espíritos caídos nas estradas da evolução. Por isso, não seja o nosso atraso motivo de receio e afastamento do Seu augusto coração, antes devemos nos aproximar Dele que é e sempre será o caminho, a verdade e a vida.