Dra. Soraia Moura Goulart - O que fazer diante de uma crise convulsiva infantil ?

07/05/21 - 08:32

Dra. Soraia Moura Goulart

Crise convulsiva ou crise epiléptica é uma condição frequente, em todas as idades, especialmente em crianças nos primeiros anos de vida.

 É definida pela ocorrência transitória de sinais e/ou sintomas devido uma falha na condução elétrica no cérebro, levando à maior atividade elétrica em algum ponto suscetível cerebral. Esses sintomas ou sinais  incluem fenômenos anormais súbitos e transitórios como: abalos musculares,  alteração da consciência,  eventos sensitivos/ sensoriais ou psíquicos  involuntários percebidos pelo paciente ou por um observador 

As convulsões na infância  podem ser causadas: alterações  metabólicas temporárias( hipoglicemia, hiponatremia), elevação abrupta da temperatura( crise convulsiva febril), malformação cerebral ( exemplo: danos ao cérebro durante a gestação, falta de oxigênio durante o nascimento   e/ou uma infecção ),  doenças genéticas , utilização de determinados medicamentos pela mãe durante a gestação e/ ou causas desconhecida. 

É importante ressaltar que a  privação do sono, estresse, infecções e jejum prolongado podem contribuir para precipitação do evento convulsivo . 

Segue abaixo orientações do que não se deve  fazer e  de como agir na presença de uma crise epiléptica infantil. 

O que não deve ser feito durante a crise convulsiva? 
• Não impeça os movimentos da criança , apenas se certifique de que nada ao seu redor irá machucá-la;
• Nunca coloque a mão  e/ ou objeto dentro da boca da vítima( as contrações musculares durante a crise convulsiva são muito fortes e inconscientemente o menor  poderá mordê-lo  e/ou se machucar) .
• Não jogue água no rosto da criança.
• Não dê comida ou líquidos até que a criança esteja completamente alerta, mesmo que se desconfie de uma diminuição de açúcar no sangue.

Caso a crise ocorra, o que fazer? 
• Mantenha-se calmo e acalme as pessoas ao seu redor;
• Evite que a  criança  caia bruscamente ao chão;
• Acomode-a  em local sem objetos dos quais ela pode se debater e se machucar;
• Utilize material macio para acomodar  sua cabeça( travesseiro, casaco dobrado ou outro material disponível que seja macio);
• Coloque-a deitada de lado  para evitar sufocamento  com a própria língua ou com vômito;
• Afrouxe um pouco as roupas para que  o menor respire melhor;
• Permaneça ao lado da  criança até que ela recupere a consciência;
• Observe a duração da crise convulsiva, caso seja superior a 5 minutos sem sinais de melhora, peça imediatamente  ajuda médica. Se possível marcar quanto tempo durou a crise e os detalhes da mesma, pois serão de grande valia para o médico
• Fique próximo  até que ele  desperte totalmente.
• Se a crise convulsiva for decorrente de uma queda é  muito importante  chamar por ajuda especializada . Ligue imediatamente  para SAMU 192

Todas as crianças devem ser encaminhadas a urgência medica  no  primeiro evento convulsivo afim de  uma  melhor  investigação de uma possível  causa. 

Nos portadores de Epilepsia  caso haja novos episodios de crises, os responsáveis  também  devem procurar  urgência medica e comunicar ao neuropediatra da criança sobre ocorrido e reagendar uma nova consulta medica com especialista.  

imagem